uma mulher de 26 anos com febre de alta qualidade e calafrios de 2 dias de duração. Ela queixou-se de dores nas articulações associadas, especialmente nos pulsos e joelhos. Um dia antes da admissão, as lesões da pele começaram a desenvolver-se nos dedos, e subsequentemente espalharam-se para as extremidades mais proximais. O doente lembrou – se de ter uma dor de garganta e uma tosse não produtiva antes do início da febre e da erupção. A história clínica anterior foi significativa para a vaginite de Gardnerella e várias infecções do tracto urinário. A paciente estava tomando pílulas contraceptivas orais; sua menstruação mais recente foi 3 semanas antes da admissão. Ela relatou ter relações sexuais com o namorado duas semanas antes da admissão. A temperatura do paciente era de 40 graus C. O exame dermatológico revelou uma pústula hemorrágica de 6 mm numa base rosa mal definida, cobrindo o aspecto volar da segunda articulação interfalângica proximal esquerda(Fig. 1a). Espalhadas nas extremidades superior e inferior, as máculas cor-de-rosa eram ocasionalmente redondas, mal definidas, com vesiculação Central (Fig. 1b). Uma biópsia cutânea do dígito revelou uma densa infiltração neutrofílica com leucocitoclasia e uma deposição marcada de fibrina nos vasos dérmicos superficiais e profundos(Fig. 2a). As manchas de Gram demonstraram a presença de diplococos Gram-negativos(Fig. 2b). Os resultados laboratoriais incluíram leucocitose (Contagem de leucócitos de 20 x 109/L, com 81% de neutrófilos). Analysis of an endocervical specimen by polymerase chain reaction was positive for Neisseria gonorrhoeae and negative for Chlamydia trachomatis. As culturas de garganta e sangue cresceram N. gonorrhoeae. Culturas de amostras obtidas por biopsia cutânea não produziram crescimento. Os resultados da análise serológica para o vírus da imunodeficiência humana, hepatite, sífilis e gravidez foram negativos. A partir da admissão, a ceftriaxona intravenosa, 2 g, foi administrada a cada 24 horas durante 6 dias, seguida de cefixima oral, 400 mg duas vezes por dia durante 4 dias. A azitromicina Oral, 1 g, foi administrada para tratar possível co-infecção com C. trachomatis. No dia 4 do tratamento, o doente tinha febre, com resolução de leucocitose e melhoria sintomática de artralgias.